sexta-feira, 4 de setembro de 2009

É UM RETRATO. O TEU.


Sinto o apelo da noite que caiu. Ao som dos ecos dos ventos calados tracei uma linha. Sem lhe saber início ou fim. É um retrato. O teu. Com reflexos prateados de lua cheia e estrelas navegantes. Pintei-o. Como quem acaricia o tempo. E rasga as sombras do passado. Fiquei sentada a espreitar a fantasia de te colorir. Há cores assim. Que nascem pequeninas e nos transformam em gigantes no Ser. É um retrato. O teu. Meu, só o maravilhar de te ver voar livre. Entre os sonhos que se desenlaçam no canto da alma.

3 comentários:

Concha disse...

Descrição do carácter,reproduzido nesta pintura cheia de sentimento.
Beijos

Quero agradecer os comentários no meu blog.

ηatalie αfonseca disse...

Bem, cada vez mais poético o que tu escreves. E sabes, quanto mais se sente, mais se escreve! :)

Hum...penso que conheço pelo olho... :P

ALô goodbye!

MarTIC@ disse...

Concha:
São assim as minhas pinturas...
Bjs

Natalie:
Obrigada! É a inspiração da noite...
Conheces pelo olho? Hummmm... tanto olho que há por aí... não sei não!
;)
Bjs