domingo, 28 de março de 2010

ABSTRACTO


As asas da madrugada trazem a agonia das sombras. O despertar dos vazios que transformam o infinito em silêncios algemados. Se o vento mudasse, inventaria tempos. Rituais abstractos. Melodias de um nada musicadas nas metáforas do sonho. Sigo o apelo da inquietação. Fugindo dos medos que mascaram a realidade. Carente de alentos. Dispersos nas utopias que me ofuscam os pensamentos...

3 comentários:

ηatalie αfonseca disse...

Ai esses teus pensamentos, MArtita!! :P
Cada vez melhor no que escreves! Essas tuas palavras! :)

Bjinx :)

MarTIC@ disse...

Gracias, Nati!
Tenho dias assim. Dá-me pra isto...
; )

X@u

Concha disse...

São dias inspiradores,prósperos em sentimentos.Tão iguaís aos que todos nós sentimos,mas nem sempre sabemos expressar.
Beijos