quinta-feira, 8 de abril de 2010

O SOM DO SILÊNCIO


Escrevo. Coisas do nada. Seguindo o leme dos meus devaneios. No labirinto da noite alimento utopias que decantam sorrisos, edificados na beleza do pôr-do-sol... Procuro a latitude exacta das páginas codificadas que vão para além do limite do sonhar. Invento, no sótão das minhas sombras, silhuetas que profetizam ausências. Sinais que sinto e que o silêncio tem na voz...

7 comentários:

ηatalie αfonseca disse...

Por vezes são os nossos devaneios que nos deixam loucos / as!
Yes yes! :)

Bela paisagem! :D

Miga,ainda não recebi mail por causa das carteirinhas! HEHE! AGuardo!;)

Beijinhos

Liliana disse...

Quem diria que na sala ao lado da minha, bem disfarçada e escondida se encontrava uma verdadeira poeta...
E esta hein?
És uma verdadeira caixinha de supresas. Continua!Please!
és uma inspiração para os mais preguiçosos, como eu.
Kiss

MarTIC@ disse...

Cara Natalie:
Só me falta a carta branca... (pá loucura)
Grazie!
; )*

MarTIC@ disse...

Cara Liliana!
Não gosto de disfarces. Sou discreta e prefiro o anonimato. Escrever, para mim, é um prazer mas ao mesmo tempo uma frustração...
Inspiração, eu??? Obrigada!!! [como sabes, sou a preguiça personificada, por isso...]

; )
Bjinhos

Concha disse...

Os nossos sotãos devem ser abertos com frequência,para podermos libertarmos...,no silêncio.
Adorei.
Bjinhos

ηatalie αfonseca disse...

"Escrevo".

Devias escrever muito mais!!! Já andas atrasada! =P

Jokas*

MarTIC@ disse...

Oh Natalinha!!!
Isto agora é assim, exigir-me escritos???
Shakerizzze! Há-de sair algo. Quando o sol decidir aquecer-me a alma...

;)*
x@u