sábado, 3 de outubro de 2009

NO MUNDO EM QUE ME HABITO


No mundo em que me habito
Dançam sonhos
Sem destino(s).
Perco-me no tempo
Como quem espera um nada...
Só ouço o silêncio que me chama,
Sem chama,
Na ilusão do estar aqui.
No mundo em que me habito
Procuro, atenta,
Pedaços de mim
Que me acendam o olhar
E me completem o existir...

1 comentário:

ηatalie αfonseca disse...

Pedaços de ti que te completam. Adorei o poema!

Credo mulherrrr, de repente apareces com tanto post! Ainda bem! ;))

*