domingo, 4 de outubro de 2009

SEM SENTIDO


Misturei-me nas fronteiras de mim. Longe. Onde os silêncios se envolvem em sentires soprados no vento. Gosto do longe. Do (re)começar. Do ser. Tenho em mim o começar da magia do meu existir. É nessa magia que vejo o mundo. Livre. Invento vazios. Palavras que se desfazem no(s) silêncio(s). Sem sentido(s).

1 comentário:

ηatalie αfonseca disse...

A prosa também te fica bem.
E tudo tem um sentido. Mesmo o que não parece ter.

E como é importante o saber recomeçar! :)